A volta de Hoff

Compartilhe:

Um retorno à natação competitiva, no mesmo período que Phelps, é difícil ter atenção. Mas não a minha, ainda mais ela. É bom demais pra ser verdade ver Michael Phelps e Katie Hoff de volta.

Lembro de assistir aos Jogos de Atenas e ver uma americanazinha de 15 anos disputando final dos 200 medley. “Mas ei, ela tem minha idade!”. No ano seguinte, já estava dominando as provas de medley no Mundial de Montreal. Hoff sempre foi versátil e sempre me inspirou, ainda por cima treinava com o próprio Phelps, eu até a invejava.

Eu tinha certeza que ela seria a grande sensação de 2008, ainda mais depois de brilhar novamente no Mundial de Melbourne, onde chegou a bater o recorde mundial dos 400 medley. E ainda mais depois de baixar esse próprio recorde na seletiva olímpica americana. Não teve o desempenho esperado em Pequim e Stephanie Rice fez a competição da vida. Saiu com 3 medalhas olímpicas, mas nenhuma de ouro.

A partir de 2009, parou de se destacar. Chegou a ser campeã mundial de curta e integrou o revezamento americano 4×200 campeão mundial em Shangai, mas só… Em 2012, não conseguiu se classificar para Londres e resolveu se dedicar aos estudos. Fiquei mal, de verdade. É triste ver uma atleta com o talento e nível técnico de Hoff não chegar nem a uma final em sua seletiva, ainda mais com seu histórico e potencial.

Esse ano, a cada queda nágua está sendo uma evolução. Nesse final de semana, em uma competição regional, nadou os 200 medley para 2’12”65. Três segundos dos 2’09”71, que em 2008 era recorde americano.

Mas enfim, estamos aqui em 2014. Com Phelps e Hoff de volta. Sabe-se lá o que 2016 nos aguarda, mas estou feliz.

Comentários